PRODUÇÃO INOVADORA COM TRADIÇÃO

 
Dos muitos desafios para produzir uma cachaça de qualidade, os três principais são: o destino adequado dos resíduos, dado o seu poder poluente no solo, mas que tratados se transformam em benefícios; a reutilização da água, dado seu alto consumo; e a aplicação de novas técnicas e conhecimentos, mantendo as experiências da tradição.
 
Em todas as etapas de produção da cachaça SAN VALLE, o engenho VALE VERDE enfrenta esses desafios criando e adotando inovadores sistemas e circuitos de integração dessas etapas visando a qualidade, a preservação, a sustentabilidade e o equilíbrio da empresa e do meio ambiente.

Circuito dos Resíduos

Todo o resíduo gerado é reaproveitado de forma sustentável 

Circuito das Águas

No solo do engenho VALE VERDE tem-se água mineral, o que contribui para a qualidade da cachaça SAN VALLE

Controle de Temperatura

Desafio

Cabe esclarecer que a fermentação é um processo natural de transformação do açúcar em álcool, por leveduras cuja otimização se dá nas temperatura de 28 a 32°. É exatamente esse, o intervalo em que se mantém a temperatura ambiente do sempre VERDE VALE de Ceará Mirim. Seria uma feliz coincidência não fosse a liberação de calor pelas leveduras, aquecendo o mosto, afetando o desempenho delas mesmas, as leveduras, e propiciando o desempenho de bactérias invasoras. O controle natural desse aquecimento requer imenso consumo de água. O controle artificial  requer altos custos e nem sempre é eficaz. Mas esse controle é indispensável para a qualidade da cachaça.

Torre de Resfriamento

1º Curcuito das Águas

Para solucionar o desafio, a Agroindústria VALE VERDE criou e fez uma inovada e importante ação técnica que resulta em redução de custos e em um grande benefício ambiental: o uso racional da água potável sem abrir mão do controle natural. Ainda mais porque essa água é mineral e do seu próprio subsolo.

 

Sendo a temperatura ambiente local o suficiente para uma boa fermentação, só precisava levar essa temperatura para dentro do mostro quando aquecido. Sendo, também, o local com ventos abundantes, foi criada uma torre de resfriamento de água em cascata sobre um reservatório impermeável. 

Foram adaptadas grandes serpentinas com espirais verticais nas dornas de fermentação que são cilíndricas e também verticais, construídas atendendo a esse fim. A água sai desse reservatório por bombeamento, à temperatura ambiental, passa pela serpentina onde troca calor com o mosto aquecido e retorna ao reservatório passando pela cascata da torre, onde volta à temperatura ambiente naturalmente, dado os ventos abundantes do local, ficando novamente apta a resfriar o mosto quando em fase de fermentação.

O Controle do condensador do Alambique

2º Circuito das Águas

O condensador precisa de uma quantidade imensa de água para resfriar e condensar os vapores do alambique. A solução foi aplicar o mesmo sistema utilizado na fermentação. Foi feito uma adaptação no condensador para que a água, em vez de passar por gravidade, vindo de caixa elevada e indo para o descarte, passe por bombeamento, retornando ao reservatório pela torre de resfriamento e voltando à temperatura ambiente, ficando novamente apta a resfriar os vapores da destilação e de forma muito mais eficaz, uma vez que a velocidade de bombeamento é muito maior que a da gravidade.

O Controle da Caldeira

3º Circuito das Águas

Vapor de caldeira também precisa de muita água. Adota-se outro sistema de reúso de água. O resultado da aplicação desses sistemas foi ainda melhor que o esperado em se tratando de eficiência e controle de temperatura porque, sendo a velocidade da água bombeada maior que a da gravidade, resfria mais rápido, e tudo naturalmente, graças à compatibilidade da temperatura ambiente do local.

Já a cachaça produzida no início (cabeça) e no final (calda) da destilação, subprodutos que seriam descartados, são redestilados com grau alcoólico 70% e utilizados em outros fins como a necessária assepsia dos equipamentos da fábrica, em especial os da moenda e das salas de fermentação e envase, constituindo redução de custos, uma vez que substitui o álcool 70, de valor elevado no mercado.

Irrigação

4º Circuito das Águas

Adota-se o sistema de irrigação por gotejamento na maior parte do canavial. Um sistema novo em cana de açúcar que está dando certo. Mesmo com um consumo de água bem menor, as primeiras experiências apontam para maior produtividade, maior eficiência, uma vez que a água vai direto na raiz da cana, e dobrando a vida útil do canavial de 6 para 12 anos.​

Resfriamento

Resfriamento

Torre de resfriamento

Dornas

Dornas

Resfriamento das dornas.

Condensador

Condensador

Condensador do alambique com a torre de resfriamento.

Caldeira

Caldeira

Resfriamento da caldeira.

Irrigação

Irrigação

Irrigação por gotejamento.